DECRETO MUNICIPAL REGULAMENTA AS CHARRETES EM CAXAMBU Reviewed by Momizat on .   “Vamos priorizar o bem coletivo e nunca individual” – afirmou o Prefeito Diogo Curi Após anos de discussões, debates, ameaços de projetos, adiamentos e p   “Vamos priorizar o bem coletivo e nunca individual” – afirmou o Prefeito Diogo Curi Após anos de discussões, debates, ameaços de projetos, adiamentos e p Rating: 0
Você está aqui:Home » Caxambu » DECRETO MUNICIPAL REGULAMENTA AS CHARRETES EM CAXAMBU

DECRETO MUNICIPAL REGULAMENTA AS CHARRETES EM CAXAMBU

 

“Vamos priorizar o bem coletivo e nunca individual” – afirmou o Prefeito Diogo Curi

charrete

Após anos de discussões, debates, ameaços de projetos, adiamentos e principalmente falta de coragem política, a cidade de Caxambu finalmente vai regulamentar o uso de charretes no município.

O Prefeito Diogo Curi (PSDB) num ato de grande visão administrativa, assinou nesta sexta-feira (15) o DECRETO MUNICIPAL 2246 que coloca ordem num dos serviços mais tradicionais da cidade, porém sempre envolto em polêmicas e reclamações das mais variadas.

Segundo nota da Associação de Proteção as Animais APAC  “Diogo Curi fez o que nenhum outro prefeito teve coragem de fazer”.

Entre outras determinações  o decreto prevê charretes com apenas dois bancos, revezamento com dois cavalos, chipagem dos animais, multa e apreensão para os cavalos que forem encontrados nas ruas, cursos periódicos entre outras coisas.

“Uma das ações  mais esperadas pela grande maioria dos moradores e visitantes de Caxambu” – disse um comerciante que pediu para não se identificar ainda com receio de represálias de charreteiros.

Mas na verdade o pensamento está mudando principalmente entre os donos das charretes. Na quinta-feira (14) no auditório da Câmara Municipal de Caxambu aconteceu um treinamento para os charreteiros, com a Polícia Rodoviária Federal, o Centro de Ensino profissionalizante- CEP, o médico veterinário João Augusto Varela e a APAC.

O treinamento foi direcionado à capacitação para o trânsito, atendimento ao turista e manejo apropriado do animal. O comparecimento foi quase total, mostrando uma colaboração por parte dos charreteiros.

download

Já a adaptação do DECRETO MUNICIPAL deve acontecer até dia 1 de fevereiro de 2018.

Ainda de acordo com a APAC  ninguém em nossa cidade se considera inimigo dos charreteiros , nem mesmo a ONG, afirmando que sabem que alguns cuidam direito de seus animais. A entidade afirmou também que a única preocupação é o bem estar dos animais. Se os cavalos estiverem sendo bem tratados e respeitados, com certeza ninguém irá implicar com esses profissionais.

 

Porém, para os demais cidadãos não só o importante cuidado com os animais é o foco da ação do Executivo. Mas também questões do trânsito e como conduzir as charretes, a recepção aos turistas, a higiene no ponto das mesmas entre tantas outras que virão para ampliar e aprimorar o serviço.

 

WhatsApp-Image-2017-12-05-at-07.50.02

PASSOS ANTERIORES

Em 13 de março deste ano a vereadora Gica Aragão fez uma INDICAÇÃO AO EXECUTIVO pedindo a  organização e padronização no serviço turístico de passeio com charretes ou cavalos através de Tabela de preço; Local adequado para servir de “ponto de charretes” fora da portaria dos Parque das Águas; estabelecer um padrão de charrete, compatível com a capacidade do animal; estabelecer limite de passageiros por charrete; obrigatoriedade do uso de coletor de dejetos; estabelecer tempo diário de trabalho do animal; proibir a alimentação e banho de animais no ponto; estabelecer o uso de uniformes; estabelecer a obrigatoriedade aos condutores das charretes pela limpeza do ponto; que os condutores sejam informados dos planos da atual administração para o serviço de Turismo de charretes.

Assinaram também este requerimento na época, os Vereadores Fábio Curi e Mario Alves.

Logo em seguida foi realizada uma Audiência Pública no dia (19)  de abril, especialmente para debater a questão da regulamentação do serviço de charretes em nossa cidade.

diogo

Naquela oportunidade o Prefeito Diogo Curi em sua fala colocou muito bem que esta é a hora da cidade optar por organizar as diversas questões “sempre priorizando o bem coletivo e não individual”.

 

1

 

2 3 4 5

Comentários

Deixe um comentário

© 2016-2017 Jornal Tribuna Sul de Minas - Reproduções autorizadas mediante indicação da fonte tribunasuldeminas.com.br Os textos, opiniões e conteúdos presentes neste portal são de única e exclusiva responsabilidade de seus respectivos autores.

Voltar para o topo